quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O Arco-Íris




No mundo imenso,
Visão e dança
Fundem-se no que eu penso.

Do fundo do corpo
O encanto com que o canto,
Enfim, se afina.

Seja tua a minha pele,
Mãos que a buscam,
Dedos que a tocam,
Lira ao compasso que marco,

Enquanto
Tua íris bailarina
No azul do céu
Descreve um arco.


Francisco Settineri.

Um comentário:

Reflexo em Coisas de Mulher disse...

Esse me leva a imaginar uma linda dança,
movimentos soltos
e palavras levemente ao vento....