quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Canção de amor – Soneto V

                 


O soneto agora geme,
Adornado em redondilha,
Dito em voz ora solene,
Ora em trova andarilha.

De madrugada, em dueto,
Tocamos as nossas cordas
Em pungente melodia.
No corpo-a-corpo fremente,

Lábios em cor maravilha
E peles em contracanto!
Só peço, morena, o encanto

De pousar o olhar discreto,
Mesmo que ainda faminto
Em teu corpo, que desteme.

Francisco Settineri.

Um comentário:

Francisco Settineri disse...

Inspirado em conversas na madrugada, tecladas com a dedicada...
A quatro mãos, e um só sonho.