quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Soneto da Despedida

                                 
                            
A tua tristeza me percorre toda a alma
Com essa calma que faz jus à tua nobreza
E se me perco, com o fado de quem ama,
É só em teu corpo que me encontro na certeza.

Mas nos teus braços, o que tanto me inflama
Repousa na paz que se junta à tua beleza
É essa graça sedutora de uma dama,
Ainda que nua, ao não despir a realeza.

Escorrem, nas dores de cada despedida,
Todas as lágrimas do que era só encanto.
Mas se o meu peito se rasga, a cada partida,

O meu breve soluço junta-se a teu pranto
E trago a face dura, a cada nova ida:
Seria antes melhor se não te amasse tanto.


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: