terça-feira, 4 de outubro de 2011

Tulipas

                                                                       

Ver e amar a cada instante
Sempre a mesma namorada,
Para mim já é o bastante,
E mal surge a madrugada.

Estás sempre diferente,
Quase nunca reconheço,
Eu estou sempre presente,
Cada dia é um começo.

Até que chegue a manhã,
Segues sempre tão querida.
E amo, como um titã,

Quando surge a alvorada,
Entre flores de romã,
Em tulipas debruada...
Francisco Settineri.

Nenhum comentário: