sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Soneto Cor de Prata




Eu vou escrever, tremendo, só pra ti
Os meus mais belos versos, bem prateados,
Falando dos amores que eu vivi
Nas noites que passamos, acordados...

Pintarei arrebóis em maravi,
E cantarei teus cabelos molhados,
Co’o suave trinar do bentevi
Que nos deixou em êxtase, alados.

Eu cuido pra que não os leve o vento,
E meus versos estarão bem traçados,
Pois se por ti eu já perdi o tento,

Para ti torneei sonetos lavrados...
Tomo-te em valsa em cada vão momento,
E os nossos céus sempre estarão mudados!


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: