sábado, 19 de novembro de 2011

Soneto da Promessa



Ao te encontrar, em teu belo sorriso,
Vestida em flores, na praça, ao vento,
Tão bela é a música do improviso
Que límpida se espalha, ornamento...

Um gesto grácil, no passo brioso,
E essa vista elevada, em monumento,
Fazem de ti um lindo ser bondoso,
Que serve ao coração seu alimento.

Mas guardo para ti o mais terno beijo
E o meu mais fundo amor, puro e constante.
Se ponho em teu contorno o meu desejo,

No clamor da promessa desse instante,
Eu te enlaço, e sempre que te vejo,
Eu sonho, e em cada céu me faço amante!


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: