quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Soneto do Eterno Retorno



É intenso este momento em que te aguardo,
Galhardo renovar do olhar gentil
E o sonho insurgente com que ardo,
De te abraçar bem forte, em mão febril.

Por ser, no amor, um raro felizardo,
É presto o puro verso varonil,
A lira da canção que sempre guardo
É tua, em oração, riso infantil...

Se a volta habita em paz na despedida,
Recorre à muda seiva a primavera
E espera a sua vez de ser cumprida

Em clara, intensa luz que reverbera
Nascida no momento da partida:
Eu broto em ramo e flor, à tua espera!...

Francisco Settineri.

4 comentários:

Don Gilberto disse...

Bello, sutil, hermoso

Kiro Menezes disse...

Lindíssimo amar! Ah! esperas e aguardos... lindo demais esse amor ♥

Ivo Stainiclerks disse...

Muito lindo, amigo. O tempo é curto para ler as inúmeras postagens maravilhosas que tenho pela frente, mas eu nunca canso de apreciá-las. Abraços.

rosangelaSgoldoni disse...

Um belo soneto!
Tenho admiração por aqueles que o sabem fazê-lo.
Parabéns!