sábado, 19 de novembro de 2011

Soneto do Laço Colorido




Adoro o teu olhar, teu corpo belo,
E a paz do teu sorriso permanente...
Eu faço de tuas ancas meu castelo,
Nascida para me deixar contente.

Com laços coloridos no cabelo,
Não há noite melhor, que não se invente,
Carinhos na manhã, zelo singelo,
Florido girassol, o amor nascente.

E foi na negra noite o brilho claro
Que ostenta, ao céu distante, a estrela nua,
O gesto de despir, no desamparo,

A calma paz da fronte que é só tua.
Porque, ao te tomar, não sou avaro,
Eu grito o meu amor em plena rua!


Francisco Settineri.