sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Doce Ninfa




Erva verde e cachoeira,
Vai descalça essa menina
De maneira matutina
Num afã de brincadeira...

Leva um verso na algibeira
E um sabor de tangerina,
Não há nada que defina
Ela ser desta maneira!

Arrepia-se ao contato
De um carinho primoroso,
Escapa do meio do mato

Um doce grito dengoso,
E o resto do seu recato
Eu desfaço, impetuoso...


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: