terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Soneto do Regaço




Teus olhos, em tua paz, são de uma vida
Nascida para me deixar contente,
E nada do que te tornou presente
Pressente a dura dor da tua partida.

Mas brota a terna flor na despedida
Acariciada ao sol do céu clemente,
Espero ver de novo, na vertente
Augusta paz em cálida guarida.

Tu voltas para mim, pra meu regalo,
Retorno que saudoso eu alucino...
É mais do que um encanto admirá-lo,

Verdade de um amor tão cristalino.
É quando, em teu regaço, já me embalo,
Sou sempre, nos teus braços, um menino.


Francisco Settineri.

2 comentários:

blogs doceolhar.com. disse...

LINDOOO...EMOÇÃO..SEM PALAVRAS!
PARABÊNS! POETA!

rosangelaSgoldoni disse...

Parabéns, Poeta!
Suave inspiração.
Abraços