quinta-feira, 10 de maio de 2012

Soneto do Retorno



Em tuas mãos já previa a delicadeza,
Da prolongada saudade o toque sutil;

Quanto mais inflamaste o teu seio gentil
Mais flamejante o meu céu ficou em beleza!

Pois se tu retornaste em festa e realeza,
Todo o meu coração ficou preso no ardil
Tramado por tua pele de modo inconsútil:
Ao me afastar de ti eu morro de tristeza...

Do teu encontro feliz pressinto o agouro
Nas cálidas tardes o lúcido contraste
O meu sonho a voar nas asas de um besouro,

Lembrança eterna de uma flor sobre uma haste.
E foi assim que eu repousei sobre o tesouro
Das mansas palavras doces que me deixaste...
 
Francisco Settineri.

Nenhum comentário: