quinta-feira, 31 de maio de 2012

Soneto Matrimonial



Agora que estamos juntos, reveja
A calma imaculada com que sonho
O momento em que ardem, no ar risonho,
Os mansos lábios da cor da cereja...

Agora que ninguém vê, despe a tua
Certeza, travestida de um tristonho
Restar neste mundo tão enfadonho
Inda que aí te ponhas sempre nua...

Agora que nós somos, juntos, mais
Que a noite, a névoa, o som e a bruma
E dançamos em todos os quintais

Leves, em nossos passos, como a pluma,
Beijemo-nos, em tons matrimoniais,
Em tensos lábios, mãos, boca e espuma!


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: