sexta-feira, 22 de junho de 2012

Martelo da Semente


Na lembrança e na graça, inflada flor
Que na fonte secou desarvorada,
Pois se foste na vida a visitada
Dos arroubos de encanto restou dor.
Foi na graça das peles, com sabor
Que o infinito acalanto virou prece
E no avesso de mim já permanece
No avatar que utilizas docemente.
Tão plantada ficou minha semente
Que no fundo da terra ela anoitece...


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: