domingo, 1 de julho de 2012

Soneto da Letra Tatuada



Do encanto de uma flor sempre cativa,
Bordada a tua manhã de agapanto
Eu faço de tua pele o campo santo
Tão nua em meu altar, definitiva!

Fulguras numa noite, e sempre altiva
Dominas com o olhar qualquer recanto
Mas quando as horas despem o teu manto
Imploras por meu braço, intempestiva...

Eu trago a ti o recorte dos meus versos
E a alma tatuada se incendeia
Ao tom e ao mar de cor desses reversos,

Escrita cuneiforme que os permeia:
Tua alma é o meu resumo de universos
A letra, a dor, o corpo e uma cadeia!


Francisco Settineri.

Um comentário:

Karla Mello... Poemar... Colhendo flores em bouqué de Poesias...! disse...

"... Eu trago a ti o recorte dos meus versos
E a alma tatuada se incendeia
Ao tom e ao mar de cor desses reversos,(...)"

E não necessita comentário algum.
Eunão conseguiria.
Seguindo-o com carinho e muita admiração ao seu trabalho!
Um forte abraço fraterno, Poeta!

Karla Mello