terça-feira, 7 de agosto de 2012

Cantiga


Canto forte, com ardor de verso nobre
Na delícia de te ver toda faceira,
Do encanto de um poema que se abre
E resolve ultrapassar qualquer fronteira...

Canto mais, até que a alma se recobre
Do temor em que se pôs a vida inteira,
Melodia que essas vozes entreabre
Orgulhosa em seu querer, tão sobranceira!

Mas se danças ao meu canto tão potente
E este vento te acompanha em assobio,
Eu prossigo em desferir muito insolente

Minhas notas no audacioso desafio
De compor feliz, na perfeição da mente
A lembrança que me vem como arrepio!


Francisco Settineri.

Um comentário:

Menina disse...

Parabéns pelas belas poesias.
Dielli (Menina da net)