sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Presa



Esboçado o abraço quente, em sua rareza,
No compasso em breves termos que arquiteto
Inauguro a geometria que o soneto
Traz em si, por grande forma que se preza.

E a malícia que se mostra na inteireza
Do que agravo em selo e cor no seio inquieto
Faz em mim desvanecer-se por completo
Essa fúria com que tomo-te, surpresa.

Nas palavras, poucas, puras, senso exato
De um silêncio que as transforma em virtude
E a ventura desse encontro é o simples tato

De um cabelo a tremular beatitudes -
E eram soltos sobre a face, ao contato
De um amor pelo qual fiz mais do que pude...

Francisco Settineri.

Nenhum comentário: