quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Noturna




Apresenta-te
a bordar o contorno
com a ponta
da língua
.

E revela,
no jogo dos contrastes
o caminho das sombras
enquanto alvorecemos.
.

Mas espera
que o balé improvável
esgote os cetins amassados
até o cansaço...
.

Então costura
nas minhas costas
novelos em transe.
.

Com a simplicidade dos atropelos
que te devoram.
.



Francisco Settineri.

2 comentários:

Dulce Morais disse...

Singelo e puro este curto, mas não menos belo, poema!
Obrigada.

Alina Tolotti disse...

Delicado ,muito sutil adorei