quinta-feira, 25 de abril de 2013

Lamento da Leitoa




Depois de tanto ele bater sem dó
O meu coitado rabicó gemeu
Eu já nem sei como ele não morreu
Ficou chorando ali no canto e só...

Indignada com esse trololó
Que fez do nosso céu azul um breu
Tudo por artes desse asmodeu,
Fui na polícia pra fazer um B.O.

Ele não acha mais que é o Vladimir
Nem mesmo em Pound ele não mais se arvora
E não é mais o meu porcão de outrora,

O que eu faria para o redimir?
Faço lambança só pra distrair
Dessa tristeza que no cocho aflora...


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: