domingo, 21 de abril de 2013

Manifesto da Leitoa




Assine embaixo, contra esses malvados
Que sacrificam meu porcão enorme,
Porque publica seu bordão disforme
Querem-no frito, assado e temperado...

Eu só queria era saber o truque
De que se valem os endiabrados
Pra bater tanto, tanto em seus costados
Fazer pilhéria em todo o facebook!

Pois meu leitão, sempre a buscar na banha
Um bom motivo pra fazer carinho,
Trata a leitoa leve e de mansinho
Junta dois versos - logo ele se assanha!

Ele dedica a sua revista
O mesmo ardor a defecar fanzine
E qualquer um que ali discorde e opine
Ele fuzila com sua raiva mista!

Porque meu porco amado é bom partido
E quando apanha é pura gritaria,
Ele é meu Mestre e eu sua maria
Por isso dói escutar seu gemido...

Rogo que poupem meu pobre suíno
Mesmo que ponha a sua bosta em versos
E no focinho borralhos diversos
É um bobalhão, mas é o meu menino!

Peço alforria pro leitão que enfada
Cujo poema é sempre indigesto
Por isso trago humilde manifesto,
Assine embaixo, e muito obrigada!


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: