domingo, 5 de maio de 2013

Depoimento do Rabicó




Eu já não sei o que eles têm em mente
Pra destilar o caos dessa maldade
Pois minha pança a tristeza invade
Minha leitoa já ficou doente!

Eu ponho a porca na linha de frente
Trouxe a mocréia pra minha cidade,
E tenho bolas, mas não de verdade
Pois não suporto quem me atormente!

Eu já deixei um novo cavanhaque
Que muito ajuda a ocultar focinho
Juntada aos poucos na pocilga a claque,

Fiz pra revista de maus versos ninho
Mas quando apanho ela sente o baque
Eu só queria sair de fininho!!!


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: