terça-feira, 26 de novembro de 2013

Caim



Por mais que sejam belos, mas sem brilho
Os olhos que à mi'a face tu endereças
No fundo vejo a nítida promessa
De ser lançado aos socos nalgum trilho

Por trás deste aspecto maltrapilho
Não há, no mundo, algo que te impeça
De achares que tu és mais, bacana à beça,
Nem Deus, nem pai, nem mãe, nem mesmo o filho!

Se alguma adaga oculta se enternece
E tem um tom solene que atravessa
Sorrindo, assim cortês, astuta fera

Já sabe que um irmão jamais esquece
O amor que não foi seu, por mais que peça
E tenha encanecido nessa espera!


Francisco Settineri.

Um comentário:

Clovis Ribeiro disse...

Belo poema meu amigo!