terça-feira, 26 de novembro de 2013

Angústia


(A Ângelo Luís)

Ah! Soberbo amigo audaz
que manca agora em montaria triste
e fora outrora rara e reluzente
me fazes ter a dor de ver-te ao dia
tão mudo que eu já quase te esquecia
carregas na memória o frio cárcere
perdeu-se em ti a paz que era risonha
e até do porco em quem botavas a peçonha
não lembras mais do mesmo jeito célere
o riso que era largo emudeceu em prisma
silêncio após silêncio de enforcado
espero enfim a ver se lhe remeto
de um jeito que pareça inconteste
o mudo afeto a ver se apazigua...

Francisco Settineri.

Nenhum comentário: