domingo, 8 de dezembro de 2013

Adeus, Nelson Mandela






Adeus, velho camarada!


As portas do internacionalismo proletário


Estarão sempre abertas


De par em par


Para homens como tu.


Em ti a humanidade excedeu qualquer vaidade


Dessas que se nutrem os homens menores!


Mesmo nas lutas, teu coração sempre bateu sereno.


Sereno até no longo cárcere!

Nunca serás jogado ao olvido;


Hoje todos choram por ti


A começar pela Mamãe África!




Francisco Settineri.

Nenhum comentário: