segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Beijos



Sinto a falta do teus beijos doloridos
Que marcaram breve tempo a minha boca
Que a fizeram se espantar como uma louca
Tanto tempo após o tempo que foi ido!

E se agora ainda os tenho tão doídos
Foi por tê-los nessa ânsia tão barroca
Língua a língua, no fragor de intensa troca
Que se nunca se tomaram por vencidos!

Pois que agora têm em si sabor de ameixa
E a ternura que se faz tão sem demora
Nas doideiras que se têm sem tom de queixa

Que o falaz, em tom sombrio, as têm agora.
E a saudade, a loucura, não me deixa;
Cravo ao peito a lâmina que me devora!

Francisco Settineri.

Nenhum comentário: