sábado, 25 de janeiro de 2014

Murmúrios azuis






Preciso de um silêncio azul que não me atordoe

E quero me ligar à paz que só a água propicia,

A me levar aos pássaros em seus pios que soem

Vamos a andar perdidos pela tarde boa

E o céu brilhante que me enche de energia

É de um silêncio azul que não me atordoa.



Podemos circular por essa vida à toa,

Porque os maçaricos me enchem de alegria,

Leva-me a ver os pássaros à beira da lagoa!



Desejo a companhia que nada me apregoa,

Que em nada se assemelhe a uma tirania

Preciso de um silêncio azul que não me atordoe!



Eu quero um horizonte e uma fonte boa,

Mais tarde ouvir o canto de toda a saparia,

Me leva a ver os pássaros à beira da lagoa.



Assim, amor, nos pássaros que revoam a canoa

Em que não pousamos as mãos cansadas,

Preciso de um silêncio azul que não me atordoe,

Me leva a ver os pássaros à beira da lagoa...





Francisco Settineri.

Nenhum comentário: