sábado, 15 de março de 2014

Esguia



Arrisco à dama o meu olhar furtivo
E a moça nem em sonhos imagina
A lava do vulcão que fugitivo
Crepita ao pé do monte que ilumina.

Pois que esse teu olhar deixou cativo,
Furtou de senso a mente a flor menina.
Estou privado assim de lenitivo
E o brilho de tua face amar ensina.

À noite o meu desejo se escancara,
E custo a adormecer, sonhando a tua
Beleza que acontece e a dor sara

Enquanto as vestes caem e a nua
Moçoila que me deixa em falta amara
Me surge em sonhos feito arfante Lua!


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: