domingo, 16 de março de 2014

Morituro



O coração agora se amotina
Mas sabe que mais tarde fica mudo
Pois passa, tudo passa, passa tudo
Não há para esse mal uma morfina!

Com o tempo ele acostuma e se refina
E larga a ilusão de ser graúdo
Pois sabe que eu também não mais me iludo
Nos bens que me passaram na retina.

E pouca gente há que não entenda
No dia em que chegar a sua hora,
Saudade de um amor não vai embora

Vislumbre de um descanso numa fenda
Daquela que com foice vem de fora,
Libertos corpo e alma e a dor tremenda!


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: