segunda-feira, 31 de março de 2014

Remanso



Raízes nunca fui de criar fundas
Na vida de um bardo aventureiro
Pois vate que se preza quer loureiro
Ainda que tenha de subir em andas...

E perco-me no mundo nas sentidas
Distâncias que percorro no sendeiro,
Um louco, enfim, e sempre sem dinheiro,
Capaz de acumular bem mais partidas!

E as vezes em que ando enregelado
A olhar mais um jardim de agapantos
Me fazem só lembrar de teus encantos
De novo eu não posso estar sentado.

Deserto dessa sina de andejo,
Derreto-me no teu olhar amante,
Não quero mais saber do andar errante
Tu és a fina Dama que eu elejo!


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: