terça-feira, 8 de abril de 2014

Dança



O amor é feito de desencontros faltantes
O que se diz sorrindo o outro desentende;
E se imagina um dia que quiçá compreende
É que escolheu saber de tudo a seu talante...

É que, ao abraçar esses dois seres falantes
Sabe-se lá o que a Natureza pretende
Um faz a bela corte e a outra enfim se rende
Ao que não entende mas acha, enfim, galante!

Nas dúvidas da sorte eu tenho me implicado
Aferro-me à vida com unhas e dentes
Na solidão da pedra e o velho mar salgado

Já não sabia se me amavas ou se mentes.
E eu que pensei que tudo tinha se acabado...
Mas ainda tenho as tuas mãos lindas e quentes!


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: