quinta-feira, 15 de maio de 2014

Mácula



Sinto tanto a dor de um passado separado
Do tempo em que te conheci inda menino
Mesmo das ruas eu ainda lembro os sinos
E das tardes em que andamos de braços dados!

E o sentimento por andarmos apartados
Pois o amor que nos unia era cristalino
Deixava em mim a mágoa do que era tão fino
E a indelével marca de um cristal trincado!

Com as mãos no peito e adormecendo no caminho
Olhando as flores que contente tu me deras
Senti o leve toque, ao me julgar sozinho

E mesmo hesitando, sem saber das feras
Dessa saudade, que se escondem no caminho
Te deste a mim e sem saber o que tu eras...

Francisco Settineri.

Nenhum comentário: