domingo, 7 de junho de 2015

memórias de uma vida decepada

 
.

pois então um dia na minha antiga casa na rua guilherme schell apareceu um camarada que eu conhecera e que cursara biologia na época em que eu publicava livros de poesia independente e simplesmente invadiu a tarde ele tinha feito o doutorado em evolução e dava aulas numa universidade no nordeste e se lembrava de mim e estava visitando a cidade de sua família tinha comprado uma tradução de Safo e vinha me dar autografada só queria antes xerocar o livro pois também queria ler e eu não entendia bem o momento eu estava na associação psicanalítica eu tinha deixado toda a poesia para trás eu era casado moço bem posto na vida com atestado de bons antecedentes psicanalíticos e me analisava com uma lacan de saias e também queria ser um lacan de jeans no meu consultório no moinhos de vento ah meu deus que babaquice o mesmo lacan que tinha um irmão padre e que tomava água benta com gelo e limão e lia as encíclicas de paulo sexto e delirava demais e eu não me lembrava mais da minha vida de poeta e tinha deixado tudo de lado foi foda eu quase abracei o camarada eu devia ter abraçado o louco que se lembrava com tanto carinho de mim e me dava Safo de presente eu simplesmente deixei de lado e o tempo passou eu nunca mais vi o amigo que tive e que me amava e deixei de lado meio que com medo que meu passado me afetasse e agora tudo voltou


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: