sábado, 27 de junho de 2015

noite




olho para os teus cabelos
e para os teus olhos que brilham
tuas palavras são rápidas
e detenho-me em algumas delas
suor caravela divindade cristal
não entendo a metade
apenas repouso penso ouço
o timbre metálico das sílabas
amor é descompasso
me desnudo surdo cego
passo a mão, adivinhando teu rosto


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: