sábado, 1 de agosto de 2015

Parceira da noite






Parceira da noite,

Apunhalas  o silêncio e o maltratas

Como se nada mais houvesse

Senão o sono, o tremor e o esquecimento

E a dor de estarmos vivos



Mais do que vivos, divididos,

Saudosos e envelhecidos

Mas a dor não mais desaba

Neste longo casamento

Como antes



Assim, nada mais temo

Eu que já perdi os teus olhos

E os teus cabelos.

As mãos que os acariciavam

Pendem inúteis

Deste corpo pouco delicado



Parceira da noite

Agora nos entendemos

Em ritmos, canções e palavras

Enfim redescobertos



Aninho-me

Frágil como nunca

Ao teu lado.

Sou feito de hábil esquecimento

E te amo como no começo




Francisco Settineri

Um comentário:

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Francisco, amigo e afilhado de blog,
hoje vim saber como
caminha seu blog e a sua boa
poesia.
E constato que ela vai muito bem!
Que Alegria!
Saudades.
Bjins
CatiahoAlc.