sábado, 24 de outubro de 2015

Ao poeta Ângelo Luís, em seu aniversário




O poeta do estrondo
o poeta do chumbo
o poeta travesso
o poeta ao avesso
na corja o arremesso
no lombo!

o poeta é um vândalo
o poeta é um escândalo
o poeta toda a vida
o poeta deu a vida
ao poema todo mês

o soneto se destrói
e livre ele aparece
o poeta cada vez
que o verso nasce
no fim ele desfaz
e desfalece
o verso ele destece,
o poeta que completa os trinta e três.


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: