quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Nave






terno é o teu sorriso e o olhar que diz

que venham

todas as manhãs bordadas

tantas

louca tu jogaste à noite

o manto

nua tu te deste ao meu

sereno canto

corpo à imensidão do céu

celebro

vento que te aquece e que se vão

cabelos

nave é minha mão em que teus dedos

cabem

sonha a minha língua

com todos, beijos,  

sempre, quentes

com teus beijos!

 .

Francisco Settineri.

Nenhum comentário: