domingo, 17 de julho de 2016

Encanto




Ama, ama o quanto possas nesta vida,
Que a penumbra já te entregue à nostalgia,
O teu corpo não avisa da partida.

Uma vida sem calor, mais que vencida
É só dia que se segue a outro dia
Ama, ama o quanto possas nesta vida,

Eu te digo que sem ti estará perdida
A existência que é assim monotonia,
O teu corpo não avisa da partida.

Eu te amo e o teu olhar não dá saída
A que eu fuja dessa tua tirania,
Ama, ama o quanto possas nesta vida,

Tudo acaba nesta vida desmedida
E eu não sofro desse mal que é a covardia,
O teu corpo não avisa da partida.

Vem pra mim, enquanto podes, por vencida,
Tuas vestes mesmas têm-se por caídas,
Ama, ama o quanto possas nesta vida,
O teu corpo não avisa da partida.


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: