segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Irredutível



         


Eu me lembro muito das luzes da ribalta

No balé em que botaste os teus pés

Sinto tanto, tanto, tanto a tua falta



Na luta pela vida fui argonauta

Sem nunca optar pelos rapapés

Eu me lembro muito das luzes da ribalta!



Mas foi tanto amor por ti que inda me assalta

Que me levou a enfrentar as marés

Sinto tanto, tanto, tanto a tua falta.



Assim, se tu achas que fui um peralta

E fui capaz de te trair, até

Eu me lembro muito das luzes da ribalta...



Lembro quando abraçaste o pai, na alta,

Foi o dia em que gritamos evoé

Sinto tanto, tanto, tanto a tua falta!


Assim, irmã, o que seria sem falta

Seria ao teu irmão doente uma fé

Eu me lembro muito das luzes da ribalta,

Sinto tanto, tanto, tanto a tua falta!




Francisco Settineri.

Nenhum comentário: