sexta-feira, 19 de maio de 2017

Prece




Eu bem que te avisei, menina linda
Que o amor é sempre amargo
Depois dele vem o grande letargo
E a saudade que muito dói, vinda

Não se sabe de onde, mas que finda
A manhã, vem o desembargo
Da tristeza, e finalmente o descargo,
O alívio, tua noite na berlinda!

Eu queria que tu bem soubesses
Das noites quentes, alucinadas
E do exato sentido do nada

Que te apavora, quando de novo a noite desce.
Mas não, não vou te dizer da fechada
Curva da existência, da vida e da prece!!!
 .

Francisco Settineri.

Nenhum comentário: