segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Soneto da Altivez



Morena, o teu sorriso é uma promessa
Que lança ao escuro breu o amargo pranto,
E nada, neste mundo, há que impeça
Que a luz do teu olhar vença o quebranto.

Caído pelo encanto, e bem depressa,
Eu vejo o verso comover-se em canto.
Não há, na vida, esforço que eu não meça,
Voltado a tua estrela, eterno espanto!

Se o andar da minha vida foi tão rude
E as poucas alegrias, passageiras,
Tiraste o espesso manto da inquietude,

Coa vida de tuas mãos tão companheiras.
Se, desde então, te amei o quanto pude,
Tu moras nas visões mais altaneiras!
Francisco Settineri.

Um comentário:

Ivo Stainiclerks disse...

Sinto-me verdadeiramente inebriado com a leitura de peças tão lindas e envolventes. Sucesso, amigo. Abraços.