sábado, 1 de setembro de 2012

Soneto Acidentado




Assustada, assim sofrida, em surda insônia
Que soçobra em santa insânia, ao senso certo,
É que sabes do insolente desconcerto
De saber que tu és do sono sem notícia!

No ressaibo desse sal fica a facécia,
Da saudade sobressai o sumo asserto:
Em sonhado abraço fica o cetro incerto,
Insensata sensação em séria audácia.

Assumida a fina essência que me assalta,
Por saber da saga audaz, mesmo na sanha
A sombria noite assume e assim ressalta

A serena solidão que a sede amanha:
Soam fúrias nessas saturnais da falta,
Verso solto e o som da sílaba se assanha!


Francisco Settineri.

2 comentários:

Dulce Morais disse...

Acidentado, assim foi nomeado, mas não menos belo. Testemunha de um talento certo!

Francisco Settineri disse...

Muito obrigado, Dulce Morais!