domingo, 22 de dezembro de 2013

Canção de Amor para a Minha Noiva






Deslumbrado por teus votos de obediência,

que só hoje, agora ao cabo, tu me prometes,

quero agora deliciar-me nos banquetes

onde hei de amar-te sempre com ardência!



A saudade foi dobrada com paciência,

Mesmo a vida a nos cobrar os grandes fretes,

Ofereço a ti, formosa, os ramalhetes

Que uma história me embargou tão sem clemência...



Muito cedo, amor, a vida me segura

Com um eco que não cala após o vento,

Nem rescaldos já me restem de amargura...



E é por isso que agora toma assento,

Não sentir que a vida breve é o que não dura,

Mas que dura, enfim, é o puro sentimento!





Francisco Settineri.

Nenhum comentário: