domingo, 22 de fevereiro de 2015

Poema terceiro





Estava nesta vida a navegar
E a vida me levava a todo canto
Mas tudo o que trazia era o encanto
Do teu sorriso novo a brilhar.

O brilho desta luz era tão belo
Que me pegava bem desprevenido
E me levava longe deste olvido
Prum mar de flor tão lindo e amarelo!

Assim que eu já fiquei atordoado
Com tanta emoção risonha e mansa
Já que o meu coração jamais se cansa
Do sonho de viver sempre a teu lado!

A flor que coloriu, impertinente
O céu que se mostrou bem desenhado
Abriu-se para o amor, que tão calado,
Eu tive, sem querer, na minha frente.


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: