sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Reflexão Nº1





Não entregues o peito assim a um tormento

Quando o dia recém nasce e já te espreita

Longe, longe de te deixar num lamento.



Busca do fundo do teu ser o alimento,

Bebe do cálice da vida e aproveita;

Não entregues o peito assim a um tormento.



O céu que te protege é o elemento

E ao ver-te de tão longe, se deleita

Longe, longe de te deixar num lamento.



Seria em vão deixar esta vida ao vento

Pois o pó no qual se torna ao pó se deita,

Não entregues o peito assim a um tormento.



Miragem no deserto é o elemento

Que o fez solerte e fátuo como a seita;

Longe, longe de te deixar num lamento.



Vá no revoar das aves teu acento

E o preito de alegria as terá refeitas.

Não entregues o peito assim a um tormento,

Longe, longe de te deixar num lamento!



Francisco Settineri.

Nenhum comentário: