sábado, 17 de setembro de 2011

Canção de amor – Soneto IX

                                                                    

Morena, retira o véu,
E essa sombra emoldurada
Em tua face, há tanto tempo
Guardada. Nunca mais temas

De um amor o braço forte.
Eu te traduzo em poemas:
Com sorte, sem contratempo,
Irão te indicar o Norte.

Em teus seios, meus emblemas
Vão te levar até Marte.
Eu te peço, não mais penas,

Mas deixar-se ir com arte,
Ser beijada em toda parte
Com alcaparras e mel.

Francisco Settineri.

Um comentário:

Reflexo d'Alma disse...

Ual...
Que belos versos!
Adoro poeta
ins
pi
ra
do.
Bjns