terça-feira, 20 de setembro de 2011

Canção de amor - Soneto XIV



Sou do amor um aprendiz
E dos teus olhos escravo,
Pois que são grande nutriz
Em cujo néctar me lavo.

Tuas mãos me desatinam
Ao me isentarem da dor
Que foi sempre minha herança.
Antecipam-se, morena,

Ao que será o meu destino,
Em teus braços ser menino,
Um guerreiro e um sonhador.

Meus versos não desanimam,
E a palavra no azul dança:
Dentro de mim tua lembrança...

Francisco Settineri.

Um comentário:

docerachel disse...

Dentro de mim dança o sabor de tua lembrança...

Lindo teus versos.