sábado, 10 de março de 2012

Soneto Esgualepado




Tomado na ventura o sonho audaz
Que vota para ti o peito inquieto
E longe dos meus olhos o decreto
Que só em teu sorriso encontro a paz!

Consolo na lembrança é tão fugaz,
Pois olho  pela casa e encontro o veto
Da ausência que me toma por completo,
E aperta o coração feito tenaz...

Vontade do teu colo, a flor tortura,
Saudade do teu beijo inebriante,
As mãos enternecidas à procura

Daquilo que recolhes, ao distante...
Eu resto no compasso da tão dura
Espera de tomar teu braço amante...


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: