quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Visagem




A porta atrás do tempo nessa volta
Da chave que o segredo assim revela
Esconde o anagrama e dentro dela
A tropa da saudade se revolta!

E a potra se rebela e mais se solta
E livre ela se torna ainda mais bela,
Recusa de antemão qualquer tutela
Do trapo de razão que sempre escolta...

E o parto da emoção foi de improviso
Na tarde que de outrora estava morta
Partido no arrebol mais um sorriso,

Paleta de clarões que o céu comporta
Mantida nas comarcas do impreciso
Espectro a me esperar, quem mais se importa...


Francisco Settineri.

Nenhum comentário: