sábado, 13 de outubro de 2012

Imperturbável




Até que as brumas as lindas as findas
Dormirei multidão sorrindo
E até que o verde a tarde aconteça
E errante endoideça
Voz arfante apelos aflitos
Os nós a trama dos medos
Os dedos imperturbados aos gritos
Os aedos os santos e os mitos
As tumbas glosarão os delitos
De não dizer teus segredos
Até que o verde a tarde aconteça

Francisco Settineri.

Um comentário:

Dulce Morais disse...

Francisco, como sempre a sua poesia, para além de ser bela e lindamente escrita, comunica um sentir, uma emoção forte e bela. Parabéns e muito obrigada!